Linhas de Vida no Alpinismo Industrial

Confira as últimas notícias em nosso blog.

Linhas de Vida no Alpinismo Industrial

Linhas de Vida no Alpinismo Industrial

O trabalho em altura ou acesso por cordas é uma profissão que ganhou muita visibilidade nas últimas décadas.

Como já trouxemos aqui no blog, a origem do alpinismo industrial deu-se pela prática do alpinismo enquanto um esporte próprio da escalada de paredões e montanhas, utilizando a proteção de alguns equipamentos de segurança, aprimorados ao longo dos anos. Alguns exemplos destes equipamentos são as roupas e sapatos próprios para escaladas, mosquetões, capacetes, freios, cordas, entre outros. A partir da prática esportiva, a sociedade percebeu a oportunidade de profissionalizar o esporte e utilizá-lo como solução para trabalhos em altura.

Com o crescimento das cidades e da indústria, cada vez mais profissionalizada e com legislações mais cuidadosas com a proteção do profissional, foram observados vínculos entre necessidades da indústria e o alpinismo.

Logo, o esporte ganha a atenção do mundo e é iniciado um novo modo de empregar as habilidades do alpinismo na indústria. Estratégias são criadas, profissionais são treinados, e equipamentos são desenvolvidos e aprimorados, especificamente para os trabalhos em altura em ambiente industrial. Chegamos, então, às Linhas de Vida, um dos equipamentos mais importantes no desenvolvimento dos trabalhos em altura.


Mas o que são as Linhas de Vida?

As Linhas de Vida, também chamadas de linhas de ancoragem, são compostas por cordas, fitas, cabos de aço ou trilhos instalados, temporários ou permanentes, flexíveis ou rígidos, com o objetivo de permitir ao usuário o desenvolvimento de atividade em altura, com segurança e uma boa desenvoltura.

As linhas de vida podem ser temporárias ou fixas/rígidas. Para trabalhos temporários, as linhas de vida são instaladas de modo que atendam à segurança de acordo com a fase da obra, ao contrário das linhas de vida fixas, que são instaladas em locais estratégicos para serem usadas de forma recorrente.

Executa-se a instalação e o desenvolvimento das linhas de vida rígidas utilizando trilhos em estruturas pré-existentes e confeccionando estruturas de pórticos. Esta é a solução mais adequada e versátil em áreas de enlonamento, carga e descarga de mercadorias, garagens de ônibus, entre outros.

As linhas de vida são conectadas aos pontos de ancoragem, destinados a suportar cargas de pessoas e/ou equipamentos para a conexão de dispositivos de segurança, tais como cordas, trava-quedas ou talabartes, de acordo com as necessidades de cada situação.


Os tipos de Linhas de Vida

As linhas de vida são divididas nas seguintes categorias: Linha de Vida Móvel e Linha de Vida Fixa. Vamos ver suas diferenças.

  • Linha de Vida Móvel
  • As linhas de vida móveis são caracterizadas pela mobilidade, pela possibilidade de deslocar o equipamento de acordo com as necessidades do trabalho, bem como pela possibilidade de serem montadas ou desmontadas seguindo seus pontos de ancoragem. Vale lembrar que a linha de vida móvel pode ser utilizada tanto para sistemas horizontais quanto verticais.

  • Linha de Vida Fixa
  • As linhas de vida fixas são dispositivos que não necessitam de movimentação no sistema de segurança, que podem permanecer imóveis sem comprometer o desenvolvimento dos trabalhos, neste caso, desempenhado em um ponto específico. Da mesma forma que as linhas de vida móveis, podem ser utilizadas em sistemas horizontais e verticais.


E o que a legislação nos traz sobre as linhas de vida?

O Anexo II da Norma Regulamentadora 35 trata do sistema de ancoragem, “definido como um conjunto de componentes, integrante de um sistema de proteção individual contra quedas - SPIQ, que incorpora um ou mais pontos de ancoragem, aos quais podem ser conectados Equipamentos de Proteção Individual (EPI) contra quedas, diretamente ou por meio de outro componente, e projetado para suportar as forças aplicáveis”.

Apresenta também as finalidades para os quais são destinados, quais sejam: a retenção de quedas, restrição de movimentação, o posicionamento no local de trabalho, bem como o acesso por cordas.

A NR 35 estabelece que o sistema de ancoragem deve passar por inspeção inicial logo após sua instalação ou quaisquer alterações. No que diz respeito a inspeção periódica, esta será procedida de acordo com as necessidades técnicas de cada sistema de ancoragem, bem como da sua instalação, observadas as orientações do fabricante do equipamento e das normas.


Linha de Vida é sinônimo de Segurança para Vidas

O Brasil registra o quarto lugar no ranking dos países com maior incidência de acidentes de trabalho. O motivo? A negligência do empresário em oferecer as condições de trabalho apropriadas para a segurança em ambientes que exigem maior precaução.

Neste cenário, as linhas de vida mostram-se fundamentais para garantir a segurança e integridade dos trabalhadores.

A Top Team Brasil, referência no segmento, trabalha com ancoragens que respeitam as exigências impostas pela Norma Regulamentadora 35 e pela NBR 16325, que trata dos requisitos de ancoragem para proteção contra quedas em trabalho em altura. Um esforço para proporcionar serviços de acesso por cordas de alta qualidade, com agilidade e segurança aos negócios do contratante.

Na hora de contratar, conte com a experiência de quem é referência em trabalho em altura. Conte com a Top Team Brasil!

Tags: trabalho em altura; nr 35; manutenção predial; manutenção industrial; trabalhos especiais em altura; acesso por corda; alpinismo industrial; linhas de vida; sistema de ancoragem; segurança


SOLICITE UM ORÇAMENTO

Trabalho e Soluções em Altura é com a Top Team Brasil.


Os campos com * são obrigatórios

Artigos sugeridos